Dum-Dum fala sobre ele e dar detalhes sobre o Facção Central

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

O Portal de Cultura Urbana entrevistará dois artistas todo mês. Para darmos início ao trabalho, conversamos com um camarada que é considerado um dos maiores rappers brasileiro. O seu nome é Washington Roberto Santana (47), Conhecido popularmente por Dum-Dum, apelido que recebeu de sua avó, a dona Julia. Ele viveu uma infância pobre, começou a trabalhar cedo, aos onze anos de idade, entregando jornal e passou por uma empresa de fotolitos. Seu primeiro contato com o rap foi através do show do grupo Racional MC’s. Cheio de inspiração rapper Dum-Dum decidiu virar cantor.O futuro reservou muita coisa boa, e umas delas foi entrar para o “Facção Central”, um dos maiores grupos de rap brasileiro que atualmente é formado por ele, Babu e Smoking.

A imagem pode conter: 3 pessoas, texto
Foto: Smoking, Dum-Dum e Babu

Facção Central é considerada desde muito tempo, um dos maiores grupos de rap do país. O grupo foi fundado em 1989. De lá até início de 2013, o grupo sofreu algumas alterações. Em Março de 2013, o grupo passou por mudanças que vocês leitores do Portal de Cultura Urbana, poderão acompanhar aqui agora, através deste pequeno bate papo com o mestre Dum-Dum, que falasobre a atualidade do grupo.

B.BoyLuizin – descreva para o público quem é Dum-Dum, o Faccionário.

 

Dum-Dum–Eu falar de mim próprio, não sei por onde começar. É bem mais fácil falar de alguém, mas vamos lá. Na adolescência fazia bastante esporte, jogava basquete, futebol e atletismo. Morava ali perto do balneário do Cambuci (parque da crimação), e naquela época não tinha estes bagulhos de vídeo game, internet e celular essas coisas. Graças a Deus, da hora que eu vivi esta época. Sou corintiano sob a influência de minha avó dona Julia, que também me apelidopelo nome Dum-Dum, aos seis meses de idade. Dona Julia teve glaucoma e perdeu a visão, antes dos trinta anos.Minha avó era negra e semianalfabeta, então desde criança tive aquela responsa e tal, cuidava sempre de minha avó e ela cuidando de mim. Ela pegava em meu braço para dar aquele rolezinho na quebrada, como na maioria dos periféricos e eu na época tinha somente sete anos de idade.Sempre tive aquela responsa derespeitar e dar atençãoaos mais velhos, essa fita toda. Era da hora!

B.BoyLuizin – Recentemente foi lançada uma coletânea com os clássicos do Facção.  Vocês lançarão em breve,outra coletânea? Fale um pouco.

Dum-Dum – No início o pensamento era esse, foi ideia do nosso produtor musical, o DJ Pantera. Mas eu mudei de ideia. O esquema é outro hoje em dia, principalmente para nós que já tem uma caminhada e uma bagagem conhecida. É muita vantagem fazer CD hoje em dia.

B.BoyLuizinHoje o Facção Central tem novos integrantes. Qual foi a reação do público em relação a isso, no início?

Dum-Dum – No início estranharam e muito, foi bastante complicado. Inclusive até para mim. Querendo ou não querendo, foram 20 anos, mas graças a Deus, as pessoas vão ao show para ver essa nova formação. Hoje em dia está suave graças a Deus.

B.BoyLuizin – Foi difícil para o público aceitar e encarar de um modo normal, a separação do Facção Central? Fale sobre a reação deles.

Dum-Dum – Foi difícil né, até pra mim. Antes de ser do facção, eu já era faccionário. Antes de cantar no Facção, eu já curtia o grupo. Eu andava com o Nego (Ex- Facção Central) e ia a todas as apresentações. Aonde eles iam eu ia atrás. Uma porque curtia as ideias, e outra porque ele era meu amigo. Eu conhecia a mãe, a irmã e a família entre outros.Então antes de ser do Facção, eu já acompanhava a caminhada.Mas a reação da maioria foi de tristeza e muitas as lágrimas. O bagulho é louco. Vários sentimentos misturados né mano. Até hoje tem alguém desconforma, mas graças a Deus a maioria entendeu que o não dava mais. Mas a ideia é essa, bola pra frente.

 

 

B.BoyLuizin – O grupo Facção Central está preparando novos lançamentos para 18? Quais são eles?

Dum-Dum–Sim, em 2018 promete, promete. Promete pra geral né. Pra geral, pra geral. Está melhorando pra todo mundo graças a Deus. O esquema agora é vídeo clip né, vocês querem o vídeo clip? Então vamos fazer o vídeo clip. Vamos produzir vários.

 

B.BoyLuizin – Dê um conselho para os grupos que estão começando no rap. O que eles devem e não devem fazer.

Dum-Dum–O eterno né mano, eu conheci o mano, ele faz uma falta. O eterno Sabotage já dizia numa frase, o Rap é Compromisso, não é Viagem. Fazer parte do esquema tá ligado. Tem que ser de corpo e alma, de coração mesmo, gostar mesmo do bang. Tem que ter palente também né. O compromisso que o mano dizia é que a pessoa deve entrar no esquema para somar, e que realmente possa fazer a diferença. Tem que ser verdadeiro nas ideias. Já a viagem, são os que entram na emoção, só entram no oba-oba. Este daí são os emocionados, eles não arrumam nada, na moral.

 

B.BoyLuizin – Mande um recado aos amantes da cultura hip-hop, e a todos os Faccionários.

Dum-Dum –Aos amantes da cultura Hip Hop. Continue ouvindo rap pelo amor de Deus! Da hora! Mas ouçam uns rap conscientes. Gostaria que vocês fossem aos shows de todos os cantores, bandas e grupos de rap que vocês escutam. Prestigiassem os músicos tá ligado. Porque agente depende disso. Só na internet curtindo ali é da hora e pá,vá e curta música ao vivo. É noiz Dum-Dum Facção Central.

Curta, comente e compartilhe em suas redes sociais.

 

Esta matéria é um oferecimento da Loja MGS. Rua Frei Antônio Santana Galvao – N° 31 loja – Bairro Estação – Peruíbe,SP.

Contato: Whatsapp: Xall (13) 9 9710-8878

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×
%d blogueiros gostam disto: