Fotógrafo Nilmar Lage lança o livro “Corpos Conflitantes”

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Por Nilmar Lage

Ao falar do processo de formação sociocultural do Brasil, Darcy Ribeiro (Povo Brasileiro,1995) abre o capítulo “Classe, cor e preconceito”, falando de corpos conflitantes. Para ele, “nossa tipologia de classes sociais vê na cúpula dois corpos conflitantes, mas mutuamente complementares. O patronato de empresários… e o patriciado…” Nessa hierarquia de classes proposta por ele, representada por um losango, ao invés da conhecida pirâmide,  haveriam outras subdivisões: “formando a linha mais ampla do losango das classes sociais brasileiras, fica a grande massa das classes oprimidas dos chamados marginais, principalmente negros e mulatos, moradores das favelas e periferias da cidade. São os enxadeiros, os bóias frias, os empregados na limpeza, as empregadas domésticas, as pequenas prostitutas, quase todos analfabetos e incapazes de organizar-se para reivindicar. Seu desígnio histórico é entrar no sistema, o que sendo impraticável, os situa na condição de classe intrinsecamente oprimida, cuja luta terá de ser a de romper com a estrutura de classes. Desfazer a sociedade para refazê-la.” Por essa luta diária, por uma busca constante de reconhecimento e direitos, o termo “corpos conflitantes” foi realocado para esse grupo que representa a minoria com poder econômico, mas maioria na composição desse  “povo brasileiro”. Sérgio Buarque de Hollanda, em Raízes do Brasil (1936),  diz que podemos assinalar dois princípios que se combatem e regulam diversamente as atividades dos homens: “para uns, o objeto final, a mira de todo o esforço, o ponto de chegada, assume relevância tão capital, que chega dispensar, por secundários, quase supérfluos, todos os processos intermediários. Seu ideal será colher o fruto sem plantar a árvore.” Essa seria uma definição superficial para que ele chama de “aventureiro”. O “trabalhador”, para Hollanda, “é aquele que enxerga primeiro a dificuldade a vencer, não o triunfo a alcançar. O esforço lento, pouco compensador e persistente, que, no entanto, mede todas as possibilidades de esperdício e sabe tirar o máximo proveito do insignificante, tem sentido bem nítido para ele. Seu campo visual é naturalmente restrito. A parta maior do que o todo.” O livro, é uma organização dos principais trabalhos que desenvolvo, fazendo um recorte amplo de fotos inéditas, mesclando com outras já apresentadas. Contemplando histórias de personagens anônimos, mas que contribuem para a formação do povo brasileiro.

Apoio: Garajão, FSFX, Cenibra, Instituto Cultural Usiminas.

Nilmar Lage

Vive em Ipatinga. Fotografando desde 2003 e trabalhando com documentários desde 2004, já mostrou seu trabalho em mostras de vídeo e exposições no Brasil e exterior. Foi professor de Fotojornalismo e Comunicação Comparada do Curso de Comunicação Social / Jornalismo, das Faculdades Integradas de Caratinga (FIC). Ministra, oficinas de fotografia e documentário, com passagens por Ipatinga, Ouro Preto, Ponte Nova e João Pessoa/PB. Atualmente dedica-se pelo grupo Fixa: Imagem e Memória, ao projeto Circuito de Imagens, fazendo um registro fotodocumental no Vale do Jequitinhonha/MG; e pelo Studio Integral: estratégias e ações para uma vida melhor, vem desenvolvendo o projeto Rio Doce: Águas Passadas.

Prêmios

Residência MUFF – Festival de fotografia de Montevideo, Montevideo/Uruguai 2016

Bolsa Residência Caravana Magnum, Ouro Preto 2016

XI Prêmio Conrado Wessel de Arte, São Paulo 2013 (finalista)

II Cine Curtas Lapa Festival, Melhor fotografia “Passagem”, Rio de Janeiro 2013

Salão Pérsio Galembeck – 2011 e 2014

Banca Aberta – Intervenções Urbanas, Ipatinga 2011

Mostras BDMG Cultural, Belo Horizonte_2011

Interceptar –  Mercado Livre na Dança 2011 (III edição), Ipatinga_2011

II Fórum de Arte Contemporânea, Ipatinga_2009

Prêmio de ocupação da Galeria do Teatro Zélia Olguin, Ipatinga_2008

“Histórias de trabalho”, Porto Alegre_2008

Exposições individuais

“Fragmentos de um Conflito Iminente” – SESC, Juiz de Fora-MG, 2016

“Senta a Pua” _ Ipatinga/MG, 2014

“Paixão” – Espaço Hibridus; intervenção pública, Ipatinga-MG, 2014

“Minuto” –  Intervenção pública, Ipatinga-MG, 2011

“Recortes Diários” – Espaço Hibridus, Ipatinga-MG, 2011

“Ambientes Emergentes” – Muestra Ambulanete 5 – 2009, La Plata (Argentina), 2009

“Recados”, “Roteiros para filmes legais, descolados e contemporâneos” – Galeria do Teatro Zélia Olguin – Ipatinga-MG, 2009

Mostras e exposições coletivas

Dias Não Virou Noite (documentário) – BrasilCine – Estocolmo – Suécia, 2016; 5th Delhi Shorts International Film Festival – Nova Deli / India, 2016; Festival Internacional de Cinema Independente FIIC – Timor Leste – 2015; Cine Under Salvador – Salvador/BA – 2015;

Paixão – Festival de Verão Instituto Cultural Usiminas – Ipatinga/MG 2016

Tatuagem e Terremoto  (documentário) – Festival Internacional de Filmes Sobre Deficiênca “Assim Vivemos” – Brasil 2015

Sociedade Anônima  (documentário) – 11ª Cine Documenta, Ipatinga/MG, 2015

Paixão –  III Semana da Fotografia de Belo Horizonte, BH/MG, 2015

Remanescência – 6ª Mostra SP de Fotografia, São Paulo/SP, 2015

“é de Maria” – Dispositivo móvil coreográfico, Concepcción – Chile, 2015; Mostra Intenções 2014 – Itapipoca/CE; SEDA – Semana do Áudio Visual _ Córdoba/AR, 2014

Rua de Baixo – Derivas, Juazeiro do Norte/CE, 2015

Remanescência – Comunidades Ausente e Baú/MG, 2015

Projeção Olhavê – Tiradentes/MG, 2015

Diálogos Fotográficos  – João Pessoa/PB, 2014

11º Salão Nacional de Fotografia “Pérsio Galembeck” _ Araras/SP, 2014

Brasil Futebol Clube_Memorial Vale, Belo Horizonte/MG, 2014

Senta a Pua _ Fotógrafos em Ouro Preto, Ouro Preto/MG, 2013

Rua de Baixo _ São Paulo/SP, Tiradentes/MG, Timóteo/MG, Ouro Preto/MG, Sete Lagoas/MG, 2013

Rua de Baixo _ Araçuai/MG e Ipatinga/MG, 2012

Perspecitva Olhavê _Tiradentes/MG, 2012

Diálogos  _ BDMG Cultural, Belo Horizonte/MG, 2012

Semana da Fotografia – 2011 _ Belo Horizonte/MG, 2011

8° Salão Nacional de Fotografia “Pérsio Galembeck” _Araras/SP, 2011

II Mostra Mineira de Fotografia_Tiradentes/MG, 2011

Proyecto Ligado 2010, Mar del Plata (Argentina), “Cartografias del Cuerpo”

7ª Mostra Nacional de Cinema Documentário de Ipatinga, 2010 “MPB

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×
%d blogueiros gostam disto: